• Visitas Monitoradas - Janeiro de 2024

    "Simpósio As visitas monitoradas ao CEBIMar/USP compreendem:

    - excursão à praia e costões rochosos, com apresentação dos aspectos ecológicos dos ambientes marinhos e os impactos que vêm sofrendo;

    - observação de pequenos organismos marinhos, usualmente amostras de plâncton, ao estereomicroscópio;

    - visita à área de tanques com água do mar corrente, onde os visitantes podem observar mais de perto e tocar em alguns organismos marinhos vivos e receber informações sobre eles.

    O serviço de monitoria é totalmente gratuito, realizado mediante agendamento e adequado a pessoas de qualquer idade, embora crianças acima de 4 anos tendem a aproveitar melhor a visita.

    Clique para agendar sua visita 

 
 
  • Ministra da Amazônia, ou do Meio Ambiente e Mudança do Clima?

    O último avanço na agenda ambiental marinha ocorreu no governo de Michel Temer, de 2016 a 2019. Depois, de 2019 a 2022, essa agenda ficou parada. Nesse período, órgãos como o Ibama e o ICMBio enfrentaram desmoralizações públicas e sofreram com cortes de verbas e de pessoal. Nos últimos cinco anos, considerados os piores para o meio ambiente global devido ao aquecimento fora de controle, os eventos extremos que castigam o litoral, e à perda de biodiversidade, o Brasil ficou parado. Tudo o que aconteceu foi o descontrole sobre a Amazônia, a maior floresta úmida do mundo. Em 1º de janeiro de 2023, começou o governo Lula 3, com Marina Silva no ministério, gerando expectativas de progresso. No entanto, entrando no segundo ano desse governo, a agenda[…]
  • Pesquisadores encontram novo ecossistema na costa do ES

       Batizado com o nome de “Colinas Coralinas”, o ecossistema tem peixes, corais e até espécies de tubarões que estão em extinção Por Kebim Tamanini - ESBRASIL - 05/02/2024.
  • Pesquisadores registram encontro de tubarões ameaçados de extinção em refúgio no arquipélago de Alcatrazes

    Sete espécies de tubarões, sendo seis delas listadas como ameaçadas de extinção, foram localizadas no arquipélago, após anos de trabalho para preservação da área. Por g1 Vale do Paraíba e Região - 08/02/2024
  • Área mais rica em peixes recifais do Atlântico precisa de mais proteção

    Cientistas e especialistas defendem a criação de unidades de conservação e da primeira reserva da biosfera marinha brasileira para reduzir ameaças e impactos da extração de minérios e da pesca sobre uma formação tida como única no mundo. (((o)) eco  - 08/01/2024)
  • ‘Cruz de São Jorge’: Brasileiro ajuda a descobrir nova espécie de água-viva vulcânica nas profundezas do Japão

    Uma nova espécie de medusa, um tipo de água-viva, foi observada duas vezes a 812 metros de profundidade em águas japonesas. Este pequeno animal gelatinoso chamou a atenção dos cientistas pelo formato do estômago, com duas faixas vermelhas cruzadas que lembram o formato da Cruz de São Jorge, presente na bandeira da Inglaterra.  (O Globo — Rio de Janeiro 10/02/2024 04h01).
  • Pesca sem controle diminuiu drasticamente populações de peixes de recifes em seis décadas

    Ao longo de seis décadas, o Brasil tem reduzido as populações de peixes que habitam a costa do país, por conta do impacto das pescas em recifes. A constatação foi feita pelo grupo ReefSyn que reúne pesquisadores de nove universidades públicas brasileiras, entre elas, a Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) a partir da análise de um banco de dados de pesca em recifes de 1950 e 2015. Os principais diagnósticos da pesca predatória no Brasil estão descritos em artigo científico publicado no dia 2 de janeiro na revista “Reviews in Fish Biology and Fisheries”.